4 fontes de pesquisa para te ajudar a criar a sua narrativa histórica

4

Quando pensamos em começar uma história, muitas vezes não temos todas as informações das quais precisamos. É preciso pesquisar, levantar informações e encontrar material para tornar nossa trama verossímil – ainda mais quando se trata de uma narrativa histórica.

Se você quer escrever boas histórias, precisa fazer da pesquisa parte do seu cotidiano. E pesquisar não significa procurar algo na Wikipédia ou se ater aos primeiros resultados de busca achando que aquela é a verdade absoluta. Você precisa estar disposto a mergulhar no assunto.

Existem, é claro, várias formas de imersão. Viagens, contatos com outras culturas, livros técnicos ou apenas imaginar. No final, escrever é imaginar como determinados personagens reagiriam se colocados em determinada situação.

Assim, ciar uma narrativa histórica te dá a possibilidade de mergulhar na busca dos fatos e imaginar como aquilo aconteceu. O que pensavam essas pessoas? Quais eram suas motivações? Como elas reagiram a tais circunstâncias?

O tempo passa, mas a humanidade em nós continua, transmitida de geração para geração.

Com o intuito de enriquecer a sua pesquisa, selecionei alguns sites e fontes que utilizei para a narrativa histórica que estou escrevendo no momento. Confira a lista e divirta-se!

Escrever não se trata apenas de contar aflições, traumas e problemas, mas de inventar mundos e imaginar possibilidades.

Sites de pesquisa para a sua narrativa histórica

  1. Memória – Biblioteca Nacional

Horas de diversão te aguardam no acervo digital de periódicos da Biblioteca Nacional. Com uma infinidade de jornais e revistas digitalizados, é possível encontrar notícias de 1740 em diante, filtrando-os por período, região e até o nome do periódico.

Outra magia é a busca por termo. Basta selecionar o ano, o nome do periódico, digitar o termo pelo qual você busca e voilà, uma nova janela se abre com todas as páginas em que o termo aparece. Ao invés de ficar procurando entre todos os textos das páginas, a informação desejada recebe um destaque em amarelo, facilitando a pesquisa.

  1. Pergamum – Sistema de Buscas em Bibliotecas

Você pode adiantar as suas pesquisas na biblioteca e aproveitar melhor a sua visita ao local utilizando a Rede Pergamum. Com apenas uma busca, é possível vasculhar cerca de 600 instituições e anotar os melhores resultados.

Se preferir, você pode buscar pela biblioteca de sua preferência – várias delas já adotaram o sistema. A Biblioteca Pública do Paraná e a biblioteca da PUCPR são duas entre as muitas integradas. Dependendo da instituição, é possível encontrar alguns arquivos para leitura online e download – principalmente artigos científicos.

Vale a pena também buscar pela biblioteca de sua preferência – como, por exemplo, “pergamum UFPR”. Apesar do sistema utilizado pela universidade ser outro, é possível encontrar o Portal da Informação utilizado pela instituição.

  1. Acervos Digitais e bibliotecas de Museus, Casas da Memória e MIS

Há uma riqueza de informações a serem exploradas dentre museus e casas da memória. Se você tem vontade de criar uma narrativa histórica da sua cidade, mergulhe fundo! Você não imagina a delícia que é pesquisar sobre as pessoas que viveram ali antes de você.

Toda cidade tem uma boa história escondida nos detalhes. São nomes de ruas, praças, espaços públicos, igrejas, fábricas, parques, estações. A boa história está escondida naquele detalhe que ninguém percebe, naquela nuance que passou despercebida por cem, duzentos anos.

O bom escritor percebe a brecha e a transforma no seu material de trabalho, lapidando-a até o obscuro da imaginação. Explore o que aconteceu perto de você como se fosse universal – afinal, as histórias podem ser diferentes, mas nossos sentimentos e desafios são todos iguais.

Entre os sites de pesquisa local, indico o da biblioteca do Museu Paranaense e o acervo digital do Museu da Imigração. Da mesma forma, algumas coisas estão digitalizadas e outras não, por isso pesquise, anote os resultados de seu interesse e visite a memória da sua cidade.

  1. Google Arte e Cultura

Se a sua narrativa histórica necessita de dados de mais longe ou você só quer procurar alguma referência rápida, é legal conhecer o site do Instituto Cultural Google. O site reúne imagens de obras, fotos, e referências dos mais variados tipos – desde a história da cultura negra até a evolução do k-pop. Tudo ali, para encher os olhos e aquecer a imaginação.

Passeie dentro dos museus famosos, veja as roupas e acessórios usados em um determinado período, explore galáxias, tire suas dúvidas sobre os movimentos artísticos e viaje no tempo com uma riqueza de informações que só têm a adicionar à sua criatividade.

Escritor, um explorador do tempo

Não é preciso ser nenhum expert para saber que a história é rica e está aí para ser explorada. No entanto, às vezes por falta de tempo, ou preguiça mesmo, escrever se torna um ato de dentro para fora. Escrever não se trata apenas de contar aflições, traumas e problemas, mas de inventar mundos e imaginar possibilidades.

Por isso, ao invés de ficar fechado em sua mente e escrever só sobre seus sentimentos e descontentamentos, te peço para olhar para o outro. Olhe para quem veio antes de você, para o que aconteceu muito antes de você nascer. Olhe com carinho, com o cuidado de quem assiste a uma outra vida.

Pesquise, imagine e escreva.

Continue pesquisando!

Se você gostou desse artigo, quero te convidar para continuar a leitura. Selecionei alguns que podem te interessar:

Sobre o autor

Mylle Silva

Escritora desde que se conhece por gente, vive um conflito eterno com as histórias e ideias que insistem em habitar sua mente. Publicou o livro de contos A Sala de Banho (2014), e as HQs A Samurai (2015) e A Samurai: Yorimichi (2016).

Deixe o seu comentário

Deixe uma reflexão

Mylle Silva

Escritora desde que se conhece por gente, vive um conflito eterno com as histórias e ideias que insistem em habitar sua mente. Publicou o livro de contos A Sala de Banho (2014), e as HQs A Samurai (2015) e A Samurai: Yorimichi (2016).