Escrever todos os dias: um exercício de disciplina e dedicação

E

Como uma afirmação direta e simples pode ser tão amedrontadora? Escrever todos os dias, um mantra às avessas que separa escritores profissionais de amadores. Quem executa a prática, diz que ela é infalível, mas há quem duvide da obrigatoriedade da escrita diária.

Para alguns inspiração, banalização do ato da escrita e autocrítica norteiam o argumento. Eu mesma pensei assim durante anos. Mas bastou começar a escrever todos os dias para transformar minha visão sobre a prática criativa.

Escrever, sua mais nova rotina

Não há dúvidas de que escrever é difícil. Encadear palavras, frases e ideias para que, no final, algo faça sentido tanto para nós quanto para o mundo. E, se os que praticam diariamente a escrita ainda encontra dificuldades, imagine quem escreve só de vez em quando? E para os iniciantes então, encadear as ideias pode ser um pesadelo!

Escrever não passa de um treino. Não importa se você nasceu com predisposição para escrita ou se acredita ser incapaz de organizar seus pensamentos em palavras. É preciso treinar todos dias, letra após letra. Inserir a escrita em sua rotina, seja por 10 minutos ou 3 horas.

Escrever profissionalmente significa que você terá que escrever todos os dias, com ou sem inspiração. Portanto, se esse é seu objetivo, só resta uma coisa a fazer: sentar e escrever.

Parece muito tempo, não acha? Tenho certeza de que você deve estar pensando eu não tenho tanto tempo livre assim. Mas não é de tempo livre que estou falando. Esqueça a sua folga, seus finais de semana e suas desculpas para não escrever. É preciso reorganizar a sua vida para escrever todos os dias.

A inspiração não existe

Comentei em outro artigo que antigamente acreditava apenas no poder da inspiração, que sem ela eu seria incapaz de escrever. Agarrei-me por muitos anos a essa crença como sendo a mais pura verdade. Foi um choque para mim quando, já com certa maturidade artística, descobri que me enganei por quase 20 anos.

Alguns tentaram me alertar, mas eu não quis ouvir. Considerei os conselhos absurdos e segui em busca da linda luz da inspiração. Queria respirar inspiração, viver poesia, caminhar no campo de margaridas e entregar-me às volúpias da escrita. Mera romantização.

É claro que a inspiração existe e que podemos ajudá-la a surgir, mas ela não é o caminho mais seguro caso queira ser um escritor profissional. Escrever profissionalmente significa que você terá que escrever todos os dias, com ou sem inspiração. Portanto, se esse é seu objetivo, só resta uma coisa a fazer: sentar e escrever.

Escrever é um ato solitário

Esquecidas as desculpas de falta de tempo e inspiração, é hora de contar com a ajuda das pessoas ao seu redor. É preciso deixar seus familiares cientes de que você precisa estar sozinho para escrever. Parece besteira, mas não é. Não estou falando que o escritor é um ser solitário e sem vida social (e, mesmo que seja, não há nada de errado nisso), só que escrever exige concentração e entrega.

Desligue o celular, afaste-se dos e-mails, redes sociais, cobranças, problemas e distrações. Coloque uma música que te agrade, que te auxilie a organizar a ideias. Eu, por exemplo, escolho a trilha sonora de acordo com o meu estado de espírito e com o que pretendo escrever, não tenho muito padrão.

Escrever todos os dias condicionará a sua mente a lidar melhor com as interrupções. Com o tempo, você será capaz de retomar o processo de escrita exatamente de onde parou. É como ver um filme em casa, algo te obriga a pausar, você vai, resolve e continua, sem estresse ou perda do fluxo criativo.

Enfrente seus bloqueios

Como eu disse antes, escrever é difícil. E foi muito difícil começar esse artigo. Cocei o rosto, esfreguei as mãos, olhei pela janela, abracei o cachorro… e nada de desenvolver. Mas estou aqui, 600 palavras depois, longe do fim. Enfrentei o bloqueio, porque meu objetivo é claro e sei que sou capaz. Se eu desistisse e fosse passear com o cachorro (que é a próxima coisa que farei, aliás), estaria desperdiçando uma chance de praticar a escrita.

Caso julgue necessário, leia antes de começar a escrever. Dependendo do assunto, uma pesquisa se faz necessária. Antes de começar a escrever esse artigo, por exemplo, passei 40 minutos lendo textos de outros escritores sobre o assunto. Conheci novos livros, ideias e, principalmente, percebi que não sou uma louca sem foco criativo algum.

Descubra o seu método e a sua voz

Sou bem favorável ao empirismo. Exercícios de escrita criativa não faltam, então escolha os que mais te agradam é comece a testar (ou melhor, textar, com o perdão do neologismo). Vou contar o que funcionou muito bem comigo, me beneficiou tanto psicologicamente quanto profissionalmente.

Como eu era muito apegada à inspiração, escrevi vários textos de cunho pessoal, entre diário e ficção. Quando me propus a escrever o roteiro para a HQ A Samurai, comecei a ler sobre métodos para a elaboração de roteiros e encontrei o livro Write Great Fiction – Plot & Structure, de James Scott Bell. (link afiliado)

Desligue o celular, afaste-se dos e-mails, redes sociais, cobranças, problemas e distrações. Coloque uma música que te agrade, que te auxilie a organizar a ideias.

Nele, o autor não só passa vários exercícios de escrita criativa e ensina conceitos, mas também demonstra que existem vários métodos de escrita. Há quem seja mais organizado, capaz de elencar todas as cenas da história, fazer ficha de personagens, dividir os atos, etc. Mas também há pessoas como eu, que são apaixonadas pelo fluxo de pensamento, que vão escrevendo ao sabor das ideias sem se preocupar com o amanhã.

Qual você prefere? O fato é que só descobrirá escrevendo todos os dias. Um dia você experimenta um método, faz um conto curto. Noutro planeja sua história minuciosamente antes da escrita em si e vê o resultado. Qual te satisfaz mais. Qual é mais efetivo para você.

A escrita matinal sem julgamentos (dica extra!)

Outra prática que eu inseri na minha vida foi a escrita matinal. Todas as manhãs eu pego um caderno pequeno e começo o que chamo de Exercício de Imaginação. O meu objetivo é escrever tudo que viver na cabeça, não me importando com a autocrítica. Escrevo até completar uma página, o que leva de 10 a 15 minutos, no máximo.

É um exercício rápido e pontual que funciona para mim. Há quem goste de escrever mais – e às vezes escrevo muito mais, se assim tenho vontade. Mas basta que eu escreva uma página para que o resto do meu dia seja de pensamentos organizados. Além disso, ajuda muito na autoestima já que, caso nada dê certo naquele dia, ao menos eu já terei garantido minha cota mínima de escrita diária.

Transformando o desejo em necessidade

Agora é a sua vez de libertar o escritor que há em você e começar a escrever todos os dias. Esqueça a falta de tempo e de inspiração, seus bloqueios criativos e deixe de se achar incapaz de começar. Mire no seu sonho e siga em frente até acertar. A caminhada é longa, mas quanto mais demorar para dar o primeiro passo, mais longe seu objetivo estará do seu alcance.

E, antes mesmo que você possa imaginar, escrever será como respirar, uma necessidade básica.

Se você já tem o costume diário da escrita, deve ter se identificado com algum dos aspectos que mencionei ao longo do artigo. Sabe bem que, mesmo que o ponto final dessa história pareça longínquo, a real conquista está nas pequenas vitórias diárias.

Escreva mais e melhor com a Caixa de Ideias do site Oficina de Escrita

Sobre o autor

Mylle Silva

Escritora desde que se conhece por gente, vive um conflito eterno com as histórias e ideias que insistem em habitar sua mente. Publicou o livro de contos A Sala de Banho (2014), e as HQs A Samurai (2015) e A Samurai: Yorimichi (2016).

2 comentários

Deixe uma reflexão

    • Oi, Cris! Vamos trocar figurinhas, fico muito feliz que você tenha gostado do site. Às vezes eu acho que sou a única louca que acredita na escrita – é sempre bom saber que não estou sonhando sozinha. Gratidão!

Mylle Silva

Escritora desde que se conhece por gente, vive um conflito eterno com as histórias e ideias que insistem em habitar sua mente. Publicou o livro de contos A Sala de Banho (2014), e as HQs A Samurai (2015) e A Samurai: Yorimichi (2016).